• Jill Muricy

Explosão de SUPERAÇÃO

A Vida realmente é um MISTÉRIO. Nenhum ser humano, por mais INTELIGENTE e CAPACITADO que seja, não consegue prever o FUTURO. Pois este aguarda surpresas que serão REVELADAS na hora adequada. Por trás de todo acontecimento existe um DESÍGNIO que somente o TEMPO consegue REVELAR.

Roberto Dinamite: Uma Explosão de SUPERAÇÃO

VITORIOSO é aquele que aprende a VENCER as adversidades desde a infância, que LUTA pela SAÚDE e faz a própria VIDA dar certo, mesmo que as circunstâncias sejam contrárias. Portanto, é na dificuldade que NASCE um VENCEDOR. O SUCESSO só vem se formos atrás dele, e quando ele chega o mundo fica sabendo que ele nos PERTENCE.


Muitas vezes, as pessoas nos acham incapazes, porque não conseguem ver aquilo que podemos nos TORNAR.

Calu, na adolescência

Foi em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no dia 13 de abril, OUTONO de 1954, que nasceu Carlos Roberto de Oliveira, o Calu, que se tornaria o Roberto Dinamite. A trajetória da FAMÍLIA Oliveira é marcada pelo futebol há muito tempo, pois o pai dele, seu Maé, foi um grande goleiro do futebol amador, que chegou a jogar contra o Garricha nos anos 50 e 60.


Os pais de Roberto se conheceram à beira de um campo de futebol. O pai goleiro e mãe torcedora do time adversário. Ela pedia para ele deixar a bola passar pro gol. Daí começou o namoro entre os dois. Posteriormente, casaram-se, tiveram 3 filhos, e dessa união precisava NASCER um grande jogador. Seu irmão José Antônio, conhecido como Quinha, era jogador de futebol amador -- Roberto é filho caçula do casal.


De origem pobre, mas RICA de VALORES e CARÁTER, a FAMÍLIA de Roberto morava em um bairro muito humilde, de poucas pessoas, com aproximadamente 100 casas.


Com uma infância bastante difícil, Calu teve sérios problemas de SAÚDE, era uma CRIANÇA abatida e muito magra. Nessa época ele já jogava bola com os amiguinhos do bairro, no clube São Bento, onde tudo começou. Apaixonado pelo esporte, chegava correndo da escola para jogar pelada.

Sem querer, o irmão dele deu-lhe uma bolada na coxa durante um jogo e ele precisou fazer uma cirurgia aos sete anos. Havia princípio de osteomielite na perna. Por causa desse incidente, Roberto ficou três meses internado com gesso nas duas pernas (tradicional cabo de vassoura). A mãe dele não o deixava sozinho um instante.


Mesmo diante desses fatos, Roberto não se curvava às adversidades. Seus pais cobriam de mais afeto, para ele superar aquele delicado momento. Porém, ele seria visitado mais vezes pelos percalços da VIDA.


Aos 12 anos, fez nova cirurgia na perna esquerda. Após exames, foi diagnosticado pus no osso e ele ficou internado mais três longos meses. Muitos não davam nada por ele, e até acreditavam que o adolescente não duraria. Por que uma criança de coração PURO teria que passar por tais provações? Pra quê tanto sofrimento? Há coisas na JORNADA terrena que nunca vamos ENTENDER, ou, talvez, com o passar do TEMPO, veremos que o quebra-cabeça se encaixa.


Aos 13 anos, com ENORME cuidado, Roberto recomeçou a jogar futebol, mas, continuava muito magro. Porém, seu BRILHO interior dava sinais que coisas EXTRAORDINÁRIAS iam ACONTECER, e ninguém imaginava.


Aos poucos, o SUCESSO se aproximava de Roberto. Ele foi levado pelo “olheiro” Gradim ao clube do Vasco da Gama para fazer um teste, e para FELICIDADE de todos foi APROVADO! Dificuldades não deixaram de acontecer, mas, ele prosseguia. Não imaginava que chegaria a se tornar jogador profissional algum dia.


Finalmente, entrou para o clube do Vasco, passou pelas categorias de base, infanto-juvenil e juvenil até se TORNAR um dos maiores jogador da História do futebol. Em pouco TEMPO seria conhecido por outro nome.

Dinamite no Vasco

Quando saía de casa para o treino, andava um quilômetro até pegar o primeiro ônibus, depois caminhava por mais 500 metros para pegar o segundo. Descia na Avenida Brasil, ia pro Vasco e após o treino fazia o mesmo caminho na volta. Chegava em casa às 15h00, almoçava e à noite ia para escola exausto. Voltava às 22h00. No dia seguinte fazia tudo de novo.


Entrou para o Vasco no fim de 69. Em 72 estava com 17 anos, quando fez o gol que marcou a sua carreira e deu-lhe o apelido de Dinamite. Contra o Internacional de Porto Alegre, ele fez um gol com um chute forte de fora da área. O jornal de esporte colocou esse gol na primeira página:” o garoto Dinamite explode no Maracanã, em razão do chute forte”. A partir de então seria chamado de Roberto Dinamite, devido à explosão do próprio chute.

Dinamite estava no AUGE da carreira com o SUCESSO, que nunca imaginou CONQUISTAR. Nem se lembrava mais do que sofreu outrora. A ALEGRIA chegou com tudo para o jovem, que VIVIA sem sequelas das enfermidades que passou na infância.

Em 74 era titular do time, o Vasco Campeão Brasileiro, e Dinamite foi o artilheiro. Com isso, aflorou a carreira de jogador. Ele é um dos três jogadores que mais vezes atuou numa única equipe e fez mais de mil partidas com a mesma camisa, assim como Rogério Ceni e o Pelé.


Ainda hoje é o maior artilheiro da história do Vasco com 702 gols, em mais de mil partidas. É tido como o maior ídolo do Vasco pelos torcedores vascaínos. É o maior artilheiro do Campeonato Brasileiro (190 gols) e do Campeonato Carioca (279 gols). E considerado pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS) o quinto maior goleador do futebol mundial em campeonatos nacionais de primeira divisão, com 470 gols.


Pela Seleção Brasileira, foi convocado pela primeira vez em 1975, ele disputou a Copa do Mundo de 1978, na Argentina, e a de 1982, na Espanha. Vestido na camisa canarinho, Roberto fez o gol mais marcante da sua CARREIRA. Em 82, ele foi chamado na última hora para substituir o bugrino Careca, que havia se machucado.

Roberto Dinamite na Seleção Brasileira


Após 21 anos no Vasco, quatro meses no Barcelona, seis na Portuguesa e seis no Campo Grande, Dinamite voltou ao clube da colina e encerrou sua carreira de muito SUCESSO como Jogador, em 1990, aos 36 anos.


Depois que se aposentou dos campos, Roberto Dinamite entrou na política, em 1992, e foi eleito Vereador do Rio de Janeiro. Em 1994, se tornou Deputado Estadual por cinco mandatos consecutivos. Saiu da política em 2015.

No período de 2008 a 2014, foi Presidente do Clube de Regatas do Vasco.


Segundo o ex- atacante, é preciso EQUILÍBRIO, VALORES FAMILIARES e muita DETERMINAÇÃO para realizar os SONHOS. O apoio da FAMÍLIA é FUNDAMENTAL, de acordo com ele. Independentemente da classe social, quando se tem estrutura familiar, um pai e uma mãe e os irmãos, com certeza será mais fácil você buscar um caminho melhor, porque as coisas ruins toda hora aparece um incentivo. Roberto é um homem FELIZ, e tem GRATIDÃO pelo que seus PAIS fizeram por ele, além de lembrar das pessoas que o ajudaram com muito respeito.


Para Dinamite, o país precisa muito da educação e do esporte; não só de futebol, mas de outras modalidades também. O futebol não é só jogar, é um esporte coletivo, que você precisa entender as cabeças que estão ali perto de você, quem está no comando: “Se o Brasil investisse um pouco mais no esporte, teríamos um país melhor”.

Dinamite e Zico: grandes AMIGOS

Mesmo jogando em times rivais, o ídolo de Roberto é seu grande amigo de longa data, Zico. Na adolescência eles jogavam no Maracanã e os pais dos dois os aguardavam FELIZES, para mostrar como é importante o apoio da família na realização dos SONHOS dos filhos. Os dois amigos batiam muito papo depois do jogo e as FAMÍLIAS também. Quando jogavam juntos na Seleção nunca perderam um jogo.


No fim de 2017, Roberto foi pro jogo das estrelas no Maracanã e não conseguiu jogar por causa do tornozelo.


Aos 36 anos, começou a sentir os efeitos físicos pelo tempo que passou jogando, as desagradáveis dores nas pernas, mais precisamente nas panturrilhas. Começou então usar palmilhas, fez uma recuperação e conseguiu jogar até 38 anos.

Após encerrar a carreira no futebol, Dinamite fez outras cirurgias, uma das amídalas e outra de apêndice. Tem uma diferença de uma perna para outra de quase três centímetros. Em razão da cirurgia que fez na infância, comprometeu o crescimento do osso. O que são esses três centímetros diante de um homem de quase dois metros? Isso não é barreira para ele!


A idade começou a pesar quando adquiriu peso e começou a sentir dores no tornozelo direito. Roberto teve que fazer uma cirurgia para bloquear o que vinha sentindo. Atualmente não sente NENHUMA dor, não toma remédio e faz fisioterapia na perna, para não voltar a sentir dores.


No decorrer de sua EXISTÊNCIA, Roberto construiu muitas coisas ao redor de sua VIDA; entre elas está sua linda FAMÍLIA. Ele é casado, pai de quatro filhos,( um dos filhos é jogador de futebol do Piauí, e também jogou do Vasco) e três mulheres. É avô de uma garotinha.


De cabelos grisalhos, voz calma e sorriso largo e CORAÇÃO gigante, Roberto é um homem humilde, com vasta experiência nos campos e na vida.


Atualmente, é comentarista do programa esportivo “ Os Donos da Bola”, na TV Bandeirantes,e também é palestrante esportivo, levando motivação para quem quer ter ÊXITO nos seus objetivos.


Roberto não é uma lenda, ele é o GIGANTE DINAMITE! Que VENCEU as adversidades! VENCEU na VIDA e no FUTEBOL! O Mundo conhece o BRILHO dele. Diante tudo isso é CORRETO AFIRMAR: na VIDA tudo é POSSÍVEL!

Dinamite e a sua marca dos VENCEDORES

Quem diria que aquele frágil menininho, doente, da Baixada Fluminense, que ninguém dava nada por ele, seria o ROBERTO DINAMITE? Nunca duvide da CAPACIDADE das pessoas. Todo ser humano tem o PODER de MUDAR o próprio DESTINO e ser EXEMPLO de SUPERAÇÃO para a HUMANIDADE.

O Calu, então Roberto Dinamite, está marcado no futebol brasileiro. Ele marcou a HISTÓRIA.


Destaque
Tags