• Jill Muricy

Rebobine o Filme

A VIDA de alguns seres humanos provam concretamente a EXISTÊNCIA de Anjos na terra. Eles são pessoas normais como nós e, quando aparecem em nossa VIDA, mudam nossa HISTÓRIA para sempre.

Andrezinho: um autêntico VENCEDOR

Uma vez percebendo a nossa necessidade, agem de forma extraordinária. Aquela SIMPLES AÇÃO nos torna a pessoa que jamais imaginamos SER. Além de possuírem BOM CORAÇÃO, cuidam de nós como um pai.


Todos nós temos um Anjo que nos ajuda na realização dos nossos SONHOS. Quem ainda não o possui, uma hora ele aparece; será alguém comum, com características inusitadas.


Na aconchegante cidade de São José do Rio Pardo, interior paulista, morava um garoto muito SIMPLES: André Luiz Tavares, o Andrezinho Tavares, filho de seu Luiz Tavares, pedreiro, e de dona Erli Faustino, empregada doméstica. Uma FAMÍLIA humilde, de VALORES inegociáveis, que trabalhava dignamente pelo próprio sustento.


Aos seis anos, Andrezinho e seu amigo andavam pela rua brincando e depararam-se a uma escolinha de futebol do ex-jogador do Flamengo, Rondinelli - Deus da Raça. Porém, o local era particular. Eles não podiam jogar porque não tinham como pagar; ficavam olhando as outras crianças jogarem pelo lado de fora da quadra.

Batizado de Andrezinho, com pais Erli e Luiz Tavares, os padrinhos João e Eraci Tavares e avó paterna Luzia Tavares

Os dois meninos perdiam a noção do TEMPO vendo os outros se divertirem com o esporte. Até que o Rondinelli perguntou se eles queriam jogar. Depois desse dia, tudo se tornou ALEGRIA e DIVERSÃO na VIDA do Dé, pois assim o futuro jogador era carinhosamente chamado na infância.


Andrezinho ganhou de Rondinelli, seu ANJO da GUARDA, tudo que um atleta precisa para jogar: uniforme, chuteira... o garoto vivia na escolinha e até ajudava a molhar a grama do campo. Sempre bem acolhido e amado pelo Deus da Raça, assim como também por seus pais. Várias vezes dona Erli andava 12 km para trocar o ticket refeição e vale transporte por dinheiro para custear a viagem do filho para o treino - ela não imaginava em quem ele se tornaria.


Certo dia, Rondinelli percebendo o talento e o POTENCIAL de Andrezinho disse: "vou te levar para jogar no Flamengo”. A doce criança não entendeu absolutamente nada. Quando Tavares completou nove anos, Deus da Raça o levou para o Rio de Janeiro, e consequentemente para jogar no vermelho e preto da Gávea. Dé se tornou o jogador mais novo da História a morar em uma concentração. Na cidade MARAVILHOSA, tudo era novidade, o clima, sol, praia, a ausência da família e principalmente a saudade de casa.


Como tudo na VIDA tem um preço; e se paga muito caro pelo SUCESSO, até porque se ele fosse fácil qualquer um conseguiria. Na sua nova residência, ou seja, no Flamengo, Andrezinho teve grande dificuldade de se adaptar ao novo padrão do cotidiano. Chorava toda vez que ia dormir, mas a assistente social do clube o acalmava e ficava com ele na cama até pegar no sono. Nos fins de semana, ele passava na casa de seu grande amigo Adriano Imperador, na Vila Cruzeiro, ou na casa do Zico, na Barra da Tijuca, pois é bem chegado dos filhos do Galinho de Quintino. Ainda bem que existia muita atenção com o menino paulista, que, a partir dos 13 anos, começou a ganhar ajuda de custo, e ajudava os pais em casa.

Rondinelli, Andrezinho e Rondinelli Júnior

Rondinelli sempre o aconselhava sobre tudo, inclusive para comprar uma casa para seus pais quando começasse a ganhar dinheiro. Com 15 anos, foi convocado para Seleção Brasileira sub 17. Após ganhar a partida, o técnico Zagallo o convocou para a Seleção Sub 20, a qual foi CAMPEÃO.


Depois disso, retornou à sua cidade natal e foi com a família olhar uma suposta casa para comprar. Chegando ao local, levou a mãe para ver cada cômodo. Quando terminou, disse:”mãe, esta casa é sua!” e todos foram às lágrimas. Estavam saindo do aluguel para sempre e aquele humilde garoto, cujo era a ESPERANÇA dos Tavares, tinha chegado ao pódio na sua carreira.


Após CONQUISTAR a residência de seus pais, Andrezinho alcançou os mais altos patamares na sua VIDA profissional. Foi o primeiro brasileiro a ganhar o “Best Lever”. Jogou 11 anos no Flamengo, quatro na Coreia do Sul, quatro no Internacional de Porto Alegre, passou um período no Botafogo, no Goiás, depois jogou três anos na China, voltou para o Brasil e jogou dois anos e meio no Vasco.


Hoje, Andrezinho Tavares comenta que as maiores dificuldades de sua VIDA foi ter saído de casa ainda criança e sustentar sua família aos 15 anos.

Tem um CORAÇÃO grato a Deus por tudo que conquistou, coisas que ele não imaginava. Atualmente, é sócio do time de futebol Nova Iguaçu. Diz que muitas vezes teve medo, foi vaiado e sentiu vontade de desistir, mas sempre vinha à sua mente a seguinte frase:” Rebobine o filme!” porque nada é vão. Ele ainda completa que perdeu vários amigos de infância para o tráfico e para as drogas, mas ele escapou por causa do futebol.


No auge de seus 35 anos, o BRILHANTE jogador sonha em ser pai e ajudar alguém da mesma forma que o Rondinelli o ajudou, sendo um ANJO na História dessa pessoa.




Destaque
Tags