• Jill Muricy

A GRANDEZA de um MILAGRE

Há duas formas de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem, a segunda é vivê-la como se tudo fosse um milagre.

Cristian Emanuel, exemplo de SUPERAÇÃO/Foto: arquivo pessoal


O que é a vida? E que são os milagres? Não há resposta que explique verdadeiramente o que é este mistério: ela vai além do que se possa mensurar.


Ninguém consegue explicá-la, nem Profeta, Cientista, Sacerdote, intelectual, sábio, gênio, crente ou ateu. A vida é um designío insondável do autor do tempo, ela traz acontecimentos inexplicáveis à lógica humana.

Da Infância a Vida Adulta


Em uma linda manhã do outono de 1991, no hospital São Francisco, na cidade das Esmeraldas, Campo Formoso, norte da Bahia, nasceu uma pedra preciosa de inenarrável valor, chamada Cristian Emanuel Oliveira de Vasconcelos.


O menino recebeu esse nome por ter nascido no Dia de Corpus Christi. E, desde que chegou a este mundo, o incrível baiano impressiona a Ciência com a capacidade de contornar os obstáculos na própria vida.


Nilda Oliveira, mãe de Cristian, estava no quinto mês de gestação, de uma gravidez de risco, ela teve um rompimento no útero, e havia grande chance da mãe e o filho perderem a vida.


Por causa disso foi realizada uma cesariana com o intuito de salvar a mãe, pois não existia qualquer possibilidade de o bebê sobreviver ao parto prematuro.


Mas, para o espanto de todos o garoto nasceu chorando muito forte, pesando 800 gramas, e com 29 centímetros de comprimento, já demonstrava que apesar da fragilidade das circunstâncias venceria todos os obstáculos.

O médico disse à mãe que aquele recém-nascido não passaria de 24 horas de vida, mas ele passou, e como passou!


O hospital onde Cristian nasceu e foi internado uma vez, não obtinha recursos adequados à saúde infantil, como Unidade Intensiva Neonatal (UTI-N).


Dispunha somente de um balão de oxigênio que estava com defeito, mesmo sabendo dos riscos a mãe do forte menino autorizou que médico usasse o aparelho mesmo assim, para salvar a vida do frágil bebê, que antes de completar uma semana de existência teve várias paradas cardiorrespiratórias.


Após algumas semanas do nascimento do valente menino, Cristian Emanuel foi mandado para casa para não correr o risco de contrair infecção hospitalar.


Mas um mês depois, sofreu uma desidratação e precisou ficar mais de 30 dias internado, nesse ínterim voltou a sofrer novamente várias paradas cardiorrespiratórias, em uma delas ficou sem respirar um bom tempo, e por causa disso foi dado como morto.


Nesse momento de angústia, Nilda olhou para um quadro de Jesus na parede curando uma criança e disse: "Cura jesus, este menino"! Após dizer estas palavras a forte mãe sentiu um enorme peso na mão e o menino voltou a respirar, espantado com tudo que havia presenciado o médico falou:" este menino não morre mais não!"


O nascimento prematuro de Cristian provocou falta de oxigênio no cérebro, o que ocasionou ao bebê uma paralisia cerebral, com esse fato ele estaria destinado a ser um deficiente físico, sem poder andar sozinho pelo resto da vida, sem contar que ele nunca enxergou, mas quem disse que tudo isso seria um peso para quem é determinado?


Aos poucos as coisas iam se encaixando com o passar do tempo, pois o sol jamais deixou de brilhar, ainda que o frágil menino não pudesse ver à sua luz.

Antes de completar três aninhos, na cidade de Senhor do Bonfim, também na Bahia, Cristian começou a estudar, mas a escola não era adaptada à deficiência dele.


Tratado normalmente pelos coleguinhas de turma, teve uma certa mãe que ameaçou tirar o próprio filho daquele ambiente escolar, pois não queria que ele convivesse com alguém "diferente" ao que ela achava normal, então a diretora da instituição falou que seria melhor ela fazer o que desejasse, pois para o menino sem deficiência haviam outras escolas para estudar, mas para Cristian, não.


Acessibilidade nas Escolas e Universidades do Brasil


A falta de acessibilidade que possui nas escolas e universidades do Brasil, é um problema corriqueiro. Não há rampas de acesso para quem é cadeirante, ou se locomove com andador.


Os banheiros não são adaptados para portadores necessidades especiais, e os educadores não são treinados para lecionar crianças, jovens e adultos especiais. Este é um défice gravíssimo que atinge mais de 10% da população brasileira, segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar das limitações, Cristian Emanuel teve uma vida normal na medida do possível, brincou bastantes com os amiguinhos que possuíam a mesma deficiência que ele, a vontade de viver intensamente não parava por nada.

Nessa mesma época, aos seis anos, ele aprendeu o braile no Instituto Psicopedagógico de Bonfim (IPPB), dava sinais que possuía uma inteligência anormal, semelhante a de gênio. Desinibido para falar em público, o garoto Cristian dava show com a oratória perfeita nas apresentações da escola, que sempre foi o apresentador.


Desde muito cedo ele queria ser promotor de justiça para prender os culpados e soltar os inocentes, para isso precisaria fazer a faculdade de direito.


A SUPERAÇÃO


Mais tarde ele entendeu que a função do promotor de justiça ia muito além do que ele imaginava, quando terminou o Ensino Médio, a família de Cristian mudou-se para Natal, no Rio Grande do Norte, terra do seu pai.


Ao chegar na cidade potiguar, mesmo sendo acostumado a passar férias com a família paterna lá, tudo era muito novo e diferente para o futuro advogado, acostumar-se a viver no novo estado foi a parte mais difícil.


Ao entrar na faculdade de Direito, professores e colegas, julgavam Cristian como "mais um", não viam que o potencial do jovem ia além do que qualquer circunstância, o pai do estudante nunca imaginou que o filho pudesse ir tão longe, mas ele conquistou o próprio espaço e surpreendeu a todos.


Nilda, a mãe incansável, também foi aprovada no mesmo curso, ela queria ser incentivo para o filho nunca desaminar, a guerreira ultrapassava os próprios limites para ver Cristian realizar o grande sonho, ela foi fiel aos cincos anos de estudo, às vezes, estava tão cansada que dormia lendo livros para o novo universitário.


Em 2016, aos 24 anos, Cristian Emanuel concluiu a faculdade Direito, juntamente com sua mãe Nilda Oliveira, ele tirou nota 10 no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), e foi aplaudido de pé pela banca.

Em 2016, Cristian e a mãe Nilda, se formaram em Direito pela Universidade Potiguar/Foto: arquivo pessoal


Muito embora, exista limitação na vida de uma pessoa, ela é só um mero detalhe na vida de quem quer seguir um objetivo, tomar um rumo.

Currículo do doutor Cristian Emanuel Oliveira de Vasconcelos

Advogado, formado em Direito, e pós graduado em Direito Penal e Processual pela Universidade Potiguar (UnP), do Rio Grande do Norte. Pós graduado em Direito Previdenciário pela Escola da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Também é Especialista em Residência Judiciária. Foi conciliador por dois anos da Justiça Federal de Natal. Está estudando para o concurso do Ministério Público (MP) de Magistratura Federal do Estado do Rio Grande do Norte.


A Vida nos Dias Atuais


Atualmente, Cristian Emanoel está no auge dos seus 30 anos, um rapaz excessivamente feliz, cheio de vitalidade, com uma saúde emocional extraordinária, ele é apaixonado pela leitura, principalmente de livros infanto-juvenis e romances policiais. Sonha em um dia poder enxergar, e andar sem a ajuda do andador.


Deseja conhecer o Brasil inteiro, principalmente o Pantanal. Além de palestrante motivacional, é autor de vários artigos na sua área de atuação, os quais provam a competência de Cristian como pessoa e como profissional


O advogado não esconde o encanto e a inspiração que possui pela nobre mãe Nilda Oliveira, ela foi o maior suporte para aquele garoto frágil desde o nascimento, sem ela não seria possível para o futuro Juiz Federal chegar ao pódio.

Cristian Emanuel em momento de descontração/Foto: arquivo pessoal


Os MILAGRES estão em toda parte, então viva como se tudo fosse um MILAGRE, porque de fato é.

Destaque
Tags