O Dia que Dancei com Jesus no Carmelo

Nem tudo tem explicação, nada acontece dentro do padrão da nossa lógica, e ainda bem que não temos o controle dos acontecimentos, se fosse assim saberíamos de tudo e, nada exatamente nada iria nos surpreender.

Mulher dançando livremente/ Foto: autor desconhecido


Eu estava passando por um momento muito delicado na minha vida, precisava SILENCIAR PROFUNDAMENTE... e, para isso nada melhor que fazer um retiro pessoal em lugar totalmente silencioso: o Carmelo!


Cheguei ao Convento das irmãs Carmelitas bem cedo, o canto dos pássaros me recebia com uma extraordinária melodia, os raios do sol dançavam sobre as árvores.


Ao adentrar aquele Mosteiro, uma paz indescritível me envolvia, jamais poderia imaginar o que aquele dia me aguardava. Fui recepcionada por uma freira enclausurada, e direcionada para um quarto, no qual eu passaria o dia inteiro na escuta da voz de Deus.


Comecei a conversar com Aquele que tudo pode, estava muito ansiosa para ouvi-LO, buscava uma resposta que no fundo já sabia, mas não queria admitir.


Após um período de conversa em oração, levantei-me e comecei a dançar no Espírito, eu já não estava mais na terra, mas em um lugar que não sei explicar: parecia um palácio de tamanho imensurável. De paredes bem altas e cor branca, com piso fino, e colunas grossas.


Eu dançava e meu corpo flutuava, meus pés não tocavam o chão. De repente eu estava em uma sala gigante, branca, toda enfeitada de flores, como se estivesse preparada para acontecer uma festa, mas só havia eu no meio daquilo tudo.


Usava vestido branco, não sentia dor ao algo relacionado ao sofrimento, eu era a mulher mais feliz e completa do mundo, havia PUREZA no meu coração. Não sentia medo, meu ser possuía imensa disposição.


Eu continuava dançando um ritmo parecido com ballet, quando percebi, Jesus estava olhando eu dançar para Ele, a dança me fazia livre... fazia parte da coreografia chegar perto do Rei e cumprimentá-lo, Ele aceitou meu cumprimento, pegou à minha mão e começou dançar comigo, tão gentil, senti o cheiro e o calor de Jesus.


Parecia que aquele momento tinha durado longas horas, mas quando me dei conta que estava no quarto dançado, compreendi que havia passado somente alguns segundos, ninguém entende o mistério do tempo. E acho que fiquei milésimos de segundos no paraíso.


Este fato aconteceu comigo em 2007, no Carmelo da Missão do Sahy em Senhor do Bonfim, na Bahia. Mas somente agora estou entendendo este fato.







Destaque
Tags